Variedades

Cabixiense relata situação de estudantes brasileiro em meio aos violentos protestos na Bolívia; falta água e comida

O resultado das eleições ocorridas no último domingo (20) na Bolívia gerou uma série de protestos por todo o país. Opositores ao governo de Evo Morales, que busca emplacar a sua quarta reeleição, defendem que o processo eleitoral foi uma fraude em favor do atual presidente – houve interrupção da contagem de votos, fato que gerou questionamento da OEA (Organização dos Estados Americanos).

Manifestantes tomaram as ruas das principais cidades do país, como La Paz, Sucre, Potosí e Santa Cruz de La Sierra. Além disso, teve início uma greve geral, e Morales decretou estado de emergência. A situação tem perturbado a rotina de brasileiros que viajaram ao país vizinho.

Centenas de estudantes brasileiros cursam faculdade de Medicina, principalmente na cidade de Santa Cruz de La Sierra, local onde vem ocorrendo grandes protestos.

Em conversa com o estudante de Medicina Roger Wender de Souza Fagundes, natural do município de Cabixi, ele relatou a situação preocupante que vive lá.

Segundo Roger, as ruas que levam a saída da cidade estão todas fechadas, impossibilitando inclusive o acesso até o aeroporto, pois existem várias barreiras no percurso, havendo ainda vários pedágios com valores exorbitantes.

Roger relatou ainda que os mercados ficam abertos até ao meio dia, e que a maioria dos mantimentos estão acabando, inflacionando a maioria dos produtos. Itens simples como água mineral, além de se tornarem mais caros, já está ficando difícil de achar na cidade.

A Faculdade onde estuda está fechada, e os acadêmicos brasileiros estão tentando através do consulado deixarem o país. Segundo ele as manifestações são violentas, principalmente o grupo pró Evo Morales, agredindo aqueles que se opõe a permanência do atual Governo.

O Consulado-Geral do Brasil em Santa Cruz de la Sierra soltou uma nota afirmando que está “ciente das notícias a respeito dos desdobramentos das eleições gerais da Bolívia de 2019” e recomenda “alto grau de cautela” aos brasileiros que estão no país. “Aos turistas que tenham viajado à Bolívia e se encontrem em zonas próximas a manifestações, sugere-se partir antes que possíveis bloqueios venham a afetar as vias de transporte e saída do país, tais como autoestradas e aeroportos.

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar