Regional

Governo de Rondônia atua em parceria com Exército Brasileiro durante Operação Samaúma

Operação já resultou em sete madeireiras fiscalizadas no município de Cujubim e aplicadas multas


O Governo de Rondônia, por meio da atuação da Secretaria do Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Polícia Militar (PM) e Corpo de Bombeiros Militar (CBM) em apoio ao Exército Brasileiro, esteve presente na Operação Samaúma no mês de julho. Os primeiros dias já resultam em sete madeireiras fiscalizadas no município de Cujubim e em multas aplicadas.

As ações estão voltadas ao combate aos crimes ambientais na Amazônia, com ênfase ao desmatamento ilegal, e ocorrem em ambiente interagências, com o máximo de integração com instituições federais e Órgãos de Segurança Pública e Fiscalização (OSPF) dos estados de Rondônia, Acre e Amazonas. A operação foi desencadeada em 3 de julho, conforme Decreto Presidencial nº 10.730, de 28 de junho de 2021 de emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem, a 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Bda Inf Sl)– Força-Tarefa Conjunta Integrada Príncipe da Beira (FTCI PB).

Reunião de alinhamento da operação iniciou em junho com diversos órgãos envolvidos

 

O alinhamento das ações encabeçados pela equipe da 17ª Bda Infantaria de Selva, iniciou em 30 de junho, com a presença da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Fundação Nacional do Índio (Funai), Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar.

Na primeira ação, na madrugada do dia 3 de julho, a Força-Tarefa Conjunta Integrada Príncipe da Beira empregou um pelotão de fuzileiros de selva da 17ª Companhia de Infantaria de Selva (17ª Cia Inf Sl), no município de Cujubim, na Floresta Nacional (Flona do Jamari, com a missão de montar uma base de apoio logístico em apoio ao Instituto Chico Mendes. Também foram realizadas ações de patrulhamentos motorizados, para reconhecimento de áreas de desmatamento, tendo resultado na apreensão de uma escavadeira hidráulica, que vinha sendo usada em área de garimpo ilegal.

No dia 14 de julho, uma ação conduzida pelo ICMBio na Flona do Jamari, apreendeu cerca de 700 metros cúbicos de madeira que estariam prontas para serem extraídas ilegalmente. Conforme nota da 17ª Cia Inf Sl do Exército Brasileiro, não houve flagrante, mas estima-se que o valor do material apreendido foi de mais de R$ 1.200.000,00 (um milhão de duzentos mil reais).

A ação contou com o apoio de tropas da FTCI PB, da Polícia Civil, PM, do (Ibama) e do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

SOBRE A OPERAÇÃO

A Operação Samaúma foi estabelecida pelo Decreto Presidencial nº 10.730, de 28 de junho de 2021, que autorizou o emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO) nas terras indígenas, em unidades federais de conservação ambiental, em áreas de propriedade ou sob posse da União e, por requerimento do respectivo governador, em outras áreas dos estados abrangidos, no período de 28 de junho a 31 de agosto de 2021.

O nome da Operação homenageia a árvore conhecida como rainha da Amazônia, que guarda e distribui água para outras espécies.  A árvore também pode ser chamada de mafumeira, sumaúma e kapok.

Comentários Facebook
Fonte
SECOM-RO

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo