Policial

Latrocidas são presos pela Polícia Militar em Vilhena; idoso era padrinho de um dos marginais

Idosa foi degolada e marginais chegaram a tentar atear fogo no corpo

Os suspeitos de praticarem o latrocínio contra Edna Domingos da Silva, de 49 anos, e tentativa de latrocínio contra  Cícero Lopes, de 69 anos, acabaram presos na tarde desta quinta-feira, 29 de Abril, em uma brilhante ação da Polícia Militar de Vilhena.

O crime ocorreu na manhã de hoje, em uma casa localiza na chácara 53, na Linha 135, área rural de Vilhena, onde os acusados teriam invadido ainda na noite do dia anterior para praticar o roubo.

Na ocasião, os marginais degolaram a mulher e arrastaram o corpo para um quarto e esfaquearam por algumas vezes o idoso, que só não morreu, devido ao fato de ter se fingido de morto.

Os infratores ainda jogaram gasolina na residência e um deles chegou a cortar a mangueira da botija de gás na esperança de que a casa pegasse fogo. Eles que estariam drogados durante o ato, uma vez que são usuários de drogas.

Socorrido pelo Corpo de Bombeiros Militares ao pronto-socorro do Hospital Regional, Cícero conseguiu falar com a Polícia Militar e fornecer o nome de um dos homicidas, uma vez que o reconheceu pelo fato de ser padrinho de consideração do mesmo.

Passado algumas horas, já de posse das informações, o Núcleo de Inteligência da Polícia Militar com apoio de Radiopatrulhas de área, os militares descobriram que um dos acusados estaria nas proximidades do bairro Cristo Rei.

Durante o patrulhamento, os policiais localizaram um motociclista conduzindo uma moto com as características repassadas pela vítima, sendo que o infrator ao perceber a aproximação policial tentou empreender fuga, sendo efetuado um disparo de arma de fogo do tipo .40 contra o pneu da moto, tendo em vista que ele colocava em risco a própria vida e a de terceiros ao avançar preferenciais e cometer diversos crimes de trânsito.

Com o tiro no pneu, o infrator perdeu o controle da direção e atingiu um poste de iluminação com a motoneta  Honda Biz 125 de placa NDK-3252 que possui registro de roubo na cidade.

Abordado, o marginal foi identificado como “Victor” e com ele estava o aparelho celular Samsung A10 roubado da senhora Edna, que foi executada na ação criminosa. Além disso, o latrocida estava com uma paranga entorpecente de Crack.

Indagado sobre os fatos, Victor não exitou em delatar os comparsas aos policiais, tendo inclusive levado os militares até até um barracão abandonado na avenida 1.512 esquina com a avenida Melvin Jones onde se encontrava o criminoso por nome “Edmilsson” de alcunha “Porto Velho” que estava usando drogas no local.

Já quanto ao terceiro suspeito, no qual “Victor” alegou ter participado da ação criminosa, este disse não saber identificá-lo. Após o crime, eles teriam comprado drogas com o dinheiro roubado das vítimas.

Para a polícia, “Victor” ainda revelou que Cícero  e Edna eram seus padrinhos de consideração e que por isso, o roubo seguido de morte foi facilitado devido as vítimas terem consideração para com ele. Ele que tinha conhecimento de que dona Edna teriam sacado certo valor em dinheiro há poucos dias.

“Victor” alegou ainda que foi ele quem deu a primeira facada na senhora Edna e que na sequencia saiu do local com a motoneta Honda Biz ; e deixou o comparsa no sítio para fazer Cícero de refém e que retornou ao local na companhia de Edmilsson e que ao chegarem constataram que o primeiro comparsa já havia esfaqueado o idoso, que aparentemente, estaria em óbito.

Não satisfeito, Edmilsson teria se apossado da faca e desferido um golpe contra o pescoço e outro contra o tórax de Cícero e na sequencia, pisou no pescoço do idoso para ter a certeza do óbito.

Em seguida, na sequencia de atos de violência severa, os latrocidas arrastaram o corpo de Edna e do idoso para o colchão de um dos quartos e jogaram gasolina sobre os corpos e pela casa, bem como, cortaram a mangueira do botijão de gás, imaginado que assim, a casa pegaria fogo. Após isto, eles fugiram do local.

Para infelicidade dos marginais, o idoso sobreviveu ao ataque e apenas se fingiu de morto, conseguindo juntar as forças e caminhar até uma cadeira na varanda, onde gritou por socorro, sendo os gritos ouvido po vizinhos, que acionaram o Corpo de Bombeiros já nessa manhã.

Presos em flagrante, “Victor” e Edmilsson foram conduzidos e apresentados na Unidade Integrada de Segurança Pública (UNISP) para serem qualificados pela Polícia Civil.

Eles que apresentavam indiferença quanto ao crime e não demonstraram qualquer arrependimento pelos atos brutais e cruéis práticados.

A reportagem não pode divulgar o sobrenome dos infratores devido ao fato de a Justiça Brasileira não permitir tal divulgação.

Tony Rota/ Claudemir Sabino

Comentários Facebook
Fonte
Rota Policial News

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo