Regional

Mais de 1,4 mil casais se divorciaram em 2021 em Rondônia

Esse total é 1% menor que o registrado no ano anterior, quando 1.448 casais se separaram oficialmente nos cartórios

Os dados do Colégio Notarial do Brasil apontam que em Rondônia 1.430 casais se divorciaram em 2021. Os dados não incluem os divórcios judiciais. Esse total é 1% menor que o registrado no ano anterior, quando 1.448 casais se separaram oficialmente nos cartórios.

A queda vai na contramão do cenário nacional: de janeiro a dezembro, foram 80.573 divórcios no país, uma alta de 4% em relação aos 77.531 registrados em 2020 e o maior número da série iniciada em 2007 (quando foram anotados 22.195 divórcios nos cartórios).

O Distrito Federal liderou o crescimento dos divórcios no ano passado, com uma alta de 40%. Houve altas acentuadas também no Amapá (33%), Acre (27%), Pernambuco (26%) e Roraima (19%).

Divórcios batem recorde no Brasil

Com as restrições e o isolamento social impostos pela pandemia de Covid-19, o número de casais que oficializaram a separação em cartórios bateu recorde em 2021. Um levantamento do CNB (Colégio Notarial do Brasil) mostra que foram registrados 77.112 divórcios consensuais no ano passado.

Apesar de representar um aumento de 266 casos em relação ao primeiro ano da crise sanitária, em 2020, que teve 76.846 dissoluções matrimoniais formalizadas, o número é o maior da série histórica, desde 2007.

Há dois anos, antes da pandemia, 75.033 casais oficializaram a separação. A proliferação do coronavírus, que impôs a quarentena e o isolamento social em casa, é apontada como uma das principais causas.

O aumento do número de divórcios coincide também com a autorização nacional para que os atos notariais de escrituras – divórcios, inventários, partilhas, compra e venda, doação – e procurações possam ser feitos de forma remota pelos cartórios. O provimento, editado pela Corregedoria Nacional de Justiça, entrou em vigor em junho deste ano.

Comentários Facebook
Fonte
DIÁRIO DA AMAZÔNIA

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo