Saúde

Mais de 700 mulheres em Rondônia apresentaram risco de câncer de mama de janeiro a abril de 2022

Em Rondônia foram mais de 8 mil mamografias realizadas de janeiro a abril só em 2022

Em Rondônia o SUS (Sistema Único de Saúde) realizou 8 mil mamografias, de janeiro a abril deste ano. Ao todo, 725 mulheres apresentaram risco elevado para o desenvolvimento do câncer de mama. Com isso, a Atenção Especializada e investigação complementar recebe as mulheres para investigação detalhada.

Conforme o SISCAN (Sistema de Informações de Câncer), em 2020, o SUS realizou cerca de 1,8 milhão de mamografias no país. Em 2021, este número saltou para mais de 2,6 milhões, um aumento de 44,44%.

Além disso, de janeiro a abril de 2022 o Brasil realizou 977 mil exames de mamografia. Dessa forma, para as mulheres diagnosticadas com câncer de mama, o SUS conta com 317 unidades e centros de assistência habilitados para tratamento da doença.

De acordo com o Ministério da Saúde, entre 2020 e 2021, foram investidos mais de R$ 196,7 milhões em 4,5 milhões de exames de mamografia para rastreamento e diagnóstico da doença. Contudo aplicou mais de R$5,7 milhões em 6,5 mil reconstruções mamárias e destinou mais de R$ 10,5 milhões em 25,1 mil cirurgias para o tratamento de câncer de mama.

Acompanhamento integral na Atenção Primária à Saúde

O Inca (Instituto Nacional de Câncer) estima 66 mil novos casos de câncer de mama para o ano de 2022 no Brasil. Por isso é muito importante que as mulheres mantenham o acompanhamento integral na Atenção Primária à Saúde e realizem o exame de rastreamento a cada 2 anos.

Como outros tipos de câncer, a detecção precoce é fundamental para um tratamento de sucesso. Ou seja, o exame clínico, a mamografia e a identificação dos sinais e sintomas suspeitos são parte das estratégias para detecção precoce do câncer de mama.

O SUS oferta a mamografia de forma gratuita. Por isso, mulheres com idade entre 50 e 69 anos, devem fazer o exame de rastreamento a cada dois anos. Mulheres consideradas de alto risco devem ter avaliação e conduta individualizadas.

“O câncer de mama leva de seis a 10 anos para atingir o tamanho de um centímetro, o que equivale a uma bolinha de gude. Mas a partir dali, ele cresce rapidamente. Existem casos onde as pacientes chegam aqui com o câncer avançado, correndo o risco de perder as mamas ou falecer”, disse o mastologista e diretor-presidente da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon), Gerson Mourão.

Sinais e sintomas

Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;
Pele da mama avermelhada, retraída ou com aspecto de casca de laranja;
Alterações no mamilo (bico do peito);
Nódulos aumentados nas axilas ;
Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Para mais informações, acesse o site do Ministério da Saúde. Ou entre em contato com a Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia (Sesau), pelo telefone (69) 3216-7347.

Comentários Facebook
Fonte
DIÁRIO DA AMAZÔNIA

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo