Regional

Presidente da CAERD tem 15 dias para explicar ao TCE de Rondônia pane no sistema de fornecimento de água

Cleverson Brancalhão da Silva pode ser multado em caso de descumprimento

O conselheiro Francisco Júnior Ferreira da Silva determinou a notificação do diretor-presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Estado de Rondônia (CAERD) – ou a quem eventualmente venha a substituí-lo.

O Tribunal de Contas (TCE/RO) abriu prazo de 15 dias para que Cleverson Brancalhão da Silva explique as questões técnico-financeiras-operacionais que originaram a pane no sistema de água e a interrupção de seu fornecimento em Guajará-Mirim.

Brancalhão também deve apurar  responsabilidades e possível dano.

Por fim, tem a obrigação de apresentar um “Plano de Contingência”, no qual, “no cenário excepcional ora experimentado, se paute por diagnósticos, prognósticos e planos de ação para prevenção e mitigação dosc impactos da aludida pandemia de Covid-19, a fim de solucionar a falta/insuficiência no fornecimento de água, cuja implementação deverá ser monitorada por esta Corte”.

Confira os termos:

“[…]

I – Determinar a notificação do senhor Cleverson Brancalhão da Silva, […], Diretor Presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Estado de Rondônia, ou de quem lhe vier a substituir, para, caso entenda conveniente, no prazo de 15 (quinze) dias, contados na forma do artigo 97, inciso I, § 1º, do Regimento Interno desta Corte de Contas, sob pena de suportar multa coercitiva e/ou por descumprimento às determinações deste Tribunal, na forma do art. 55, IV, da Lei Complementar nº 154/96, sem prejuízo de outras cominações legais, apresente suas razões de justificativas, acompanhada da documentação julgada necessária, sobre:

a) questões técnico-financeiras-operacionais que originaram a pane no sistema de fornecimento de água e a interrupção do fornecimento de água no município de Guajará-Mirim;

b) apuração de responsabilidades e possível dano;

c) apresentação de um “Plano de Contingência”, no qual, no cenário excepcional ora experimentado, se paute por diagnósticos, prognósticos e planos de ação para prevenção e mitigação dosc impactos da aludida pandemia de Covid-19, a fim de solucionar a falta/insuficiência no fornecimento de água, cuja implementação deverá ser monitorada por esta Corte.

II – Determinar ao Departamento da 1ª Câmara desta Corte de Contas que:

a) Promova a publicação do decisum;

b) Adote as providências para dar cumprimento às determinações contidas nesta decisão e expeça os competentes ofícios;

c) Encaminhe cópias do pronunciamento do Corpo Instrutivo (IDs 993619 e 1170114), da DM nº 0120/2021-GABFJFS (ID 1089508) e deste decisum, visando subsidiar a defesa;

d) Informe que o presente processo está disponível integralmente para consulta no endereço eletrônico http://www.tce.ro.gov.br, no link Consulta Processual;

e) Se o mandado não alcançar o seu objetivo, sendo infrutífera a notificação do responsável, para que não se alegue violação ao princípio da ampla defesa e contamine os autos de vícios de nulidades, renove o ato, desta feita por edital, conforme previsto no artigo 30 e seguintes do Regimento Interno deste Tribunal de Contas;

f) Dê conhecimento da decisão ao interessado, via Diário Oficial Eletrônico, informando-lhe que seu inteiro teor está disponível para consulta no endereço eletrônico www.tce.ro.gov.br, em homenagem à sustentabilidade ambiental; […]”.

Comentários Facebook
Fonte
Por Rondoniadinamica

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo