Política

TRE de Rondônia afasta prefeito de Vilhena e determina novas eleições; Japonês recorre e Macedo está pronto para assumir

Por seis a um, a Justiça Eleitoral manteve o acórdão que cassou o mandato do atual regente da cidade do Cone Sul e sua vice

O prefeito de Vilhena Eduardo Japonês, do PSC, fora afastado em decisão colegiada patrocinada pelos magistrados componentes do Tribunal Regional  Eleitoral de Rondônia (TRE/RO).

Por seis a um, os representantes da Corte regional optaram por manter o acórdão que cassou seu mandato e também o de sua vice, Patrícia da Glória, determinando, desde já, a realização de eleição suplementar na cidade do Cone Sul.

O relator dos autos, Edson Bernardo, juiz de Direito, deliberou no sentido de que sejam deflagrados os devidos procedimentos a fim de realizar as novas eleições para prefeito e vice, ainda sem previsão oficial para ocorrer.

Também determou que a Câmara de Vilhena seja informada para tomar as providências de afastamento  e que o cargo seja ocupado pelo presidente da Câmara de Vereadores, Ronildo Macedo (Podemos). Isto, de forma interina.

Macedo concedeu entrevista ao site Extra de Rondônia e se diz preparado para assumir as funções de chefe do Executivo municipal.

Na visão dele, sobre o caso envolto a Japonês, a “Justiça foi feita”.

““Justiça seja feita. Infelizmente cometeram erros nas eleições e a condenação vem. Estamos aí aguardando a decisão da justiça, se precisar, estamos 100% prontos para assumir o mandato”, relatou ao jornal vilhenense.

Nas redes sociais, Eduardo Japonês se diz confiante e alega que irá reverter o panorama na hostes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O alcaide, ora afastado, diz conservar a consciência tranquila a despeito do placar de seis a um imposto contra si na decisão dos juízes eleitorais regionais.

Alega, veeementemente, que não cometeu crime algum.

“Quem trata comigo sabe que exijo trabalho correto e honesto”, anotou.

Comentários Facebook
Fonte
Rondoniadinamica/extra de rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo